Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
quinta-feira, 01-12-2022
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksPesquisaAutores1

Biografia

Biografia
                  

Humberto Baquero Moreno  
[Lisboa, 1934 - Porto, 2015]  

Humberto Baquero Moreno
Historiador.

Professor catedrático da Faculdade de Letras do Porto, ensinou também na Universidade de Lourenço Marques; foi director do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, de 1988 a 1990, e director do Arquivo Distrital do Porto, de 1997 a 1999. É um dos mais autorizados medievalistas portugueses, bem conhecido nos círculos internacionais da especialidade, pela sua obra de investigação histórica integrada por mais de uma centena de títulos, em que emerge a sua notável tese de doutoramento sobre a batalha de Alfarrobeira (A Batalha de Alfarrobeira: Antecedentes e Significado Histórico).

Uma análise atenta da sua obra, demonstra-nos a preferência deste historiador por um leque diversificado de centros de interesse – assistência, marginalidade, manutenção da ordem pública, conflitividade, com relevo para as tensões anti-senhoriais e anti-judaicas, instituições, actividades e privilégios municipais – divulgados em artigos dispersos que viriam a ser reunidos em volumes autónomos.

Prosseguindo o ritmo de produção que nem os cargos administrativos e directivos lhe conseguem interromper, dentro do seu método rigoroso de fazer História, Baquero Moreno continua a ir ao encontro do homem medieval português, surpreendendo-o nas vereações municipais e nas Cortes, nas feiras e nos mercados, calcorreando as vias medievais como almocreve ou peregrino, salteador ou membro de alguma comitiva régia, com residência fixa em algum couto de homizados ou ainda, desvairado, a proferir doestos e blasfémias contra Deus, a Virgem e os Santos, quando não, na expectativa da morte, perante o notário a dispor a sua última vontade.

No panorama da sua actividade científica e cultural, além da participação em inúmeros congressos e colóquios, em Portugal e no estrangeiro, temos de frisar ainda o estímulo e o apoio que tem vindo a dar a diversas Câmaras Municipais e outras instituições, conducentes a iniciativas cheias de interesse, consagrando, simultaneamente, a importância e a eficácia da conjugação de esforços entre a Universidade e o meio envolvente.

No afecto crítico do Prof. Baquero Moreno, é possível registar um vaivém interessado e entusiasta entre os séculos XIII e XV, e acentuar o seu apego ao desvendar de variadas linhas cruzadas do viver social e político dos fins da Idade Média portuguesa, de que é justo lembrar a sua persistente chamada de atenção para duas grandes figuras da história portuguesa: o infante D. Pedro e o seu pai D. João I.

Tem colaboração dispersa por Revista de Ciências do Homem da Universidade de Lourenço Marques, 1970, Revista Portuguesa de História, Coimbra, 1978, Bracara Augusta, 1982, Anais da Academia Portuguesa da História, onde publicou (1978) o ensaio «A vagabundagem nos fins da Idade Média Portuguesa», e Arquivos do Centro Cultural Português, da Fundação C. Gulbenkian em Paris, 1969.
in Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, Vol. VI, Lisboa, 1999