Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
terça-feira, 24-10-2017
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksLinks

Sítios úteis

Sítios úteis

Enquanto objeto que culturalmente nos define, o livro é, na sua aparente simplicidade e talvez também por isso mesmo, um dos mais extraordinários. Com o livro, ao longo da nossa história comum, vivemos as mais diversas aventuras e construímos relações fortes e intensas: objeto de paixões e de ódios, o livro foi e é simultaneamente acarinhado, amado, desprezado, renegado e amaldiçoado (Cf. Bibliomanias e Dicionário de termos literários).

Para os que não imaginam a vida sem eles, os livros testemunham a faceta mais nobre e intangível da nossa humanidade: dos livros das nossas bibliotecas pessoais, aos cuidados que lhes dispensamos, aos objectos que neles guardamos, aos livros com os quais acreditamos ser possível fazer um mundo melhor, literalmente, os Better world books.

Os livros consubstanciam, todavia, outras facetas humanas bem mais prosaicas e materiais: bens de consumo e de troca, os livros e as leituras movimentam um mercado de investimentos, negócios, empresas e profissionais de que apenas possuímos uma ideia aproximada e parcelar, como os números fornecidos sobre a Feira do Livro de Frankfurt, por exemplo. Ou os apresentados por Jascha Hoffman da The New York review of books, ou os da acreditada empresa Nielsen Bookskan que monitoriza os dados globais de venda de livros em quatro continentes, o que a não impede de se ver confrontada com outros dados que, segundo os jornais onlineSlate ou Publishers weekly entre outras opiniões, reduzem entre 50% a 70% o grau de fiabilidade dos números apresentados. Em 2014, esta questão coloca-se de modo mais pertinente ainda, levantando mesmo a hipótese da não sobrevivência da Nielsen Bookskan na era digital.  

Do extraordinário universo do livro, selecionaram-se alguns dos mais pertinentes e originais sítios, blogues e páginas web, que agrupámos nos seguintes tópicos apresentados no lado direito.

Embora já com alguns anos o Inquérito ao Sector do Livro realizado pelo Observatório das Actividades Culturais (OAC), em 2008, constitui uma primeira abordagem ao mundo do livro em Portugal.