Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
domingo, 26-06-2022
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksPesquisaAutores1

Biografia

Biografia
                  

Herlander Ribeiro  
[Lisboa, 1886 - Lisboa, 1967]  

Advogado, investigador de temas jurídico-sociais, jornalista e memorialista.

Iniciou-se no jornalismo, em Lisboa, no jornal A Luta e logo em 1901 via editado o seu primeiro livro, um romance que antes fora publicado em folhetins. Em 1903, foi um dos fundadores da Associacão da Imprensa Portuguesa. É também nesse ano que parte para Coimbra a fim de cursar Direito, apresentando-se na Universidade já com um estudo jurídico-social publicado: A Vadiagem em Portugal.

Essas suas preocupações sociais, que, juntamente com a defesa do povo Judeu, lhe haviam de trazer alguns incómodos, estarão também patentes nas suas cartas de Coimbra para A Luta (1903-1908), cartas que haveria de reunir em volume, em 1936, em edição fora do mercado e sob o título de Cartas de Uma Tricana. Nelas se preocupa, também, com a exploração do negro nas colónias portuguesas, denunciando fortunas de então (1907) feitas à custa da «Venda de pretos».

Terminou o curso de Direito em 1908. Em 1911 é o autor de um projecto de Reforma da Polícia de Investigação Criminal. De 1916 a 1926 exerceu em Lisboa o cargo de juiz substituto, devendo-se-lhe os projectos de um Código do Trabalhoe de um Código Agrário que veio a publicar mais tarde.

Viajante incansável, percorreu toda a Europa e o Norte de África e fez duas vezes a volta ao Mundo. Escreveu numerosas crónicas e alguns livros com os resultados das suas observações nessas viagens. A preocupação com as condições sociais dos menos afortunados, nomeadamente dos trabalhadores, levou-o a insistir em estudos sobre a Rússia e a China, países que visitou.

Também a sorte do povo judeu lhe mereceu um estudo, a Alma Judia (1939), que em 1950 seria traduzido em inglês e francês e publicado simultaneamente na Inglaterra, nos Estados Unidos e na França. Tem também obras traduzidas em hebreu.

O eclodir da Segunda Grande Guerra surpreendeu-o em Tolosa; acabada a guerra, fixou-se em Paris, onde se julga ter morrido. São de lá os seus últimos trabalhos, ali editados em 1950 e 1951. Dois deles reflectem ainda as suas preocupações de estudioso social: o ensaio Do Acto ao Pensamento e o estudo sobre a obra do médico e psicológo francês Henri Wallon (1879-1962), então ocupado com a demonstração da sua teoria da génese da consciência e do desenvolvimento da inteligência.
in Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, Vol. III, Lisboa, 1994