Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
terça-feira, 23-07-2019
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksPesquisaAutores1

Biografia

Biografia
                  

António Manuel Couto Viana  
[Viana do Castelo, 1923 - Lisboa, 2010]  

António Manuel Couto Viana
Poeta, dramaturgo, ensaísta, memorialista e tradutor.

Fez os seus estudos em Viana do Castelo, Braga e Lisboa. Desde cedo encaminhou o seu interesse para o teatro, começando por colaborar no Teatro Estúdio do Salitre como actor, cenógrafo e encenador (1948-1950). Fez parte da direcção do Teatro de Ensaio do Teatro Monumental (1952) e foi empresário e director do Teatro do Gerifalto (1956-1960) e também da Companhia Nacional de Teatro (1961-1965). A sua actuação como actor, encenador e mestre de arte de dizer e de representar, que nunca abandonou, levou-o também à Televisão, para a qual encenou espectáculos de teatro, e também e naturalmente à escrita e à tradução de peças de teatro.

A sua estreia literária verificou-se em 1948 com o livro de poemas O Avestruz Lírico. De 1950 a 1954 dirigiu com David Mourão-Ferreira e Luiz de Macedo as folhas de poesia Távola Redonda, e em 1956-1957 a revista de cultura Graal. Fez parte do conselho de redacção da revista Tempo Presente em 1959-1961.

Integrou-se, sobretudo com a sua obra poética, no grupo daqueles que desde finais da década de 40 se opunham ao neo-realismo, com uma obra que procurava reabilitar o culto do passado, da paisagem e dos amores tímidos e castos. Além da poesia e do teatro, dedicou-se também à literatura infantil, quer estudando-a em ensaios, quer escrevendo e traduzindo livros destinados às crianças, quer dirigindo publicações infanto-juvenis como Camarada (1949-1951). Aliás, uma boa parte da sua prática teatral como actor, encenador e autor dirigiu-se também às crianças, o que terá decerto muito que ver com a sua obra poética onde perpassam marcas de um paraíso infantil perdido.

Está representado em várias antologias de poesia portuguesa, e poemas seus foram traduzidos para castelhano por Angel Crespo e para inglês por Joan R. Longland. António Manuel Couto Viana foi em 1960 premiado com o Prémio de Poesia Luso-Galaica Valle-Inclan.
in Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, Vol. V, Lisboa, 1998