Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
terça-feira, 23-07-2019
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksPesquisaAutores1

Biografia

Biografia
                  

Adolfo Coelho  
[Coimbra, 1847 - Carcavelos, Cascais, 1919]  

Filólogo e introdutor da filologia científica em Portugal. Apesar de não ter frequentado a universidade, foi nomeado professor de Filologia Comparada no Curso Superior de Letras, a partir de 1878, por mérito próprio, num dos mais notáveis casos de autodidactismo e vocação pedagógica da moderna história da cultura portuguesa.

A sua facilidade para aprender outros idiomas permitiu-lhe um estreito contacto com as doutrinas de linguistas estrangeiros, sobretudo germânicos. Procurou fundamentar a cultura portuguesa nas ciências do espírito, e não nas ciências da natureza, como era hábito do positivismo da sua época.

Os seus trabalhos caracterizaram-se por relacionar diversos domínios – o etnográfico com o folclórico, o estudo do traje com a área geográfica, o estudo das palavras com o estudo das coisas –, tendo sido importantes e decisivos para a transformação das mentalidades, insistindo na importância da introdução do método científico na investigação.

Foi, além disso, um precursor dos estudos linguísticos, ocupando-se do português do Brasil e dos crioulos e interessando-se particularmente pelos problemas do ensino. Foi, aliás, a sua conferência sobre «A questão do ensino» que, acusando a Igreja e o Estado de serem responsáveis pelo panorama desolador em que se encontrava o ensino em Portugal, provocou a proibição das célebres Conferências do Casino (1871).

O primeiro e único museu pedagógico em Portugal foi também de sua iniciativa.

A sua vastíssima produção, que inclui obras de divulgação e trabalhos de investigação, perde uma certa actualidade, devido, até certo ponto, à grande dispersão do autor por um grande campo de actividades e, consequentemente, a uma certa superficialidade no tratamento das matérias, mas é inegável o seu mérito na renovação e modificação dos hábitos intelectuais da vida portuguesa.
in Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, Vol. II, Lisboa, 1990