Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
terça-feira, 23-07-2024
PT | EN
República Portuguesa-Cultura Homepage DGLAB

Skip Navigation LinksPesquisaAutores1

Biografia

Biografia
                  

João Barrento  
[Alter do Chão, 1940]  

João Barrento
Crítico, ensaísta e tradutor literário de língua alemã. Licenciou-se em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1964) com uma tese sobre a obra do dramaturgo inglês Harold Pinter. De 1965 a 1968 foi leitor de Português na Universidade de Hamburgo e, depois, leitor de Língua Alemã na Faculdade de Letras de Lisboa. De 1986 até se jubilar foi professor de Literatura Alemã e Comparada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Professor convidado e conferencista nas Universidades alemãs de Hamburgo, Göttingen, Düsseldorf, Heidelberg, Erfurt, Leipzig, Mainz, Bielefeld e nas Universidades de Viena (Áustria), Louvain-la-Neuve (Bélgica), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Federal da Paraíba (Brasil).

Nos domínios do ensaio, crónica, diário e teoria publicou, entre outros, Fausto na Literatura Europeia. Lisboa, Apáginastantas, 1984 (com VV. Autores); O Espinho de Sócrates. Modernismo e Expressionismo. Lisboa, Presença,1987; A Poesia do Expressionismo Alemão, Lisboa, Presença, 1989; Goethe. Vida, Obra, Época / Goethe em Portugal. Lisboa, Círculo de Leitores, 1991; A Palavra Transversal. Literatura e Ideias no Século XX. Lisboa, Cotovia, 1996; Uma Seta no Coração do Dia. Crónicas. Lisboa, Cotovia, 1998; Nelken und Immortellen. Portugiesische Literatur der Gegenwart [Cravos e Sempre-Vivas. A literatura portuguesa contemporânea]. Berlim, edition tranvía, 1999; A Espiral Vertiginosa. Ensaios sobre a cultura contemporânea. Lisboa, Cotovia, 2000; Umbrais. O Pequeno Livro dos Prefácios. Lisboa, Cotovia, 2000; O Poço de Babel. Para uma poética da tradução literária. Lisboa, Relógio d’Água, 2002; Ler o Que Não Foi Escrito. Conversa inacabada entre Walter Benjamin e Paul Celan. Lisboa, Cotovia, 2005; A Escala do Meu Mundo. Lisboa, Assírio & Alvim, 2006; O Arco da Palavra. Ensaios. S. Paulo, Editora Escrituras, 2006; Na Dobra do Mundo. Escritos llansolianos. Lisboa, Mariposa Azual, 2008; O Género Intranquilo. Anatomia do ensaio e do fragmento. Lisboa, Assírio & Alvim, 2010; O Mundo Está Cheio de Deuses. Crise e crítica do contemporâneo. Assírio & Alvim, 2012; Limiares. Sobre Walter Benjamin. Florianópolis, Editora da UFSC, 2013; Geografia Imaterial. Três ensaios sobre a poesia (com fotografias de Vina Santos). Lisboa, Assírio & Alvim, 2014; Como um Hiato na Respiração. Diário do dia seguinte. Lisboa, Averno, 2015; A Chama e as Cinzas. Um quarto de século de literatura portuguesa (1974-2000). Lisboa, Bertrand, 2016; Goethe. O eterno amador. Lisboa, Bertrand, 2018; Uma Contra-música. Novos escritos llansolianos. Lisboa, Espaço Llansol/Mariposa Azual, 2019; Breviário do Silêncio. Lisboa, Alambique, 2021; Crónica da Casa Futurante e outras viagens no tempo. Sintra, Feitoria dos Livros 2022; A Nave dos Loucos. Lisboa, Editora Alambique, 2022; Walter Benjamin: A Sobrevida das Ideias [Ensaios e Diário]. Lisboa, Edições do Saguão, 2022; Aparas dos Dias. A escrita na ponta do lápis. lha do Pico, Companhia das Ilhas, 2023.

Editou, organizou e traduziu, entre outras obras, Literatura de Língua Alemã em Tradução Portuguesa. Uma Bibliografia (1945-1978). Bona, Inter Nationes, 1978; Realismo- aterialismo-Utopia. Uma Polémica (Lukács, Bloch, Brecht, Eisler). Lisboa, Moraes, 1978 (organ., introd. E trad.); História Literária. Problemas e Perspectivas. Lisboa, Apáginastantas, 1983 (org., introd. e trad.); Literatura Alemã. Textos e Contextos (1700-1900). 2 volumes. Lisboa, Presença, 1989; B. Brecht, O Processo do filme 'A Ópera de Três Vinténs'. Uma experiência sociológica. Porto, Campo das Letras, 2005 e os 25 volumes de textos sobre a Obra de Maria Gabriela Llansol (2009-2023).

Traduziu e prefaciou dezenas de autores de língua alemã, com destaque para autores como Georg Trakl, Else Lasker-Schüler, Gottfried Benn, Paul Celan [3 vols.], Ingeborg Bachmann, Johannes Bobrowski, H. M. Enzensberger, Goethe (Fausto, Ifigénia, Torquato Tasso, Viagem a Itália, prosa narrativa e científica, poesia: total de 7 volumes), Lessing (Emilia Galotti), Hölderlin (Todos os Poemas, Assírio & Alvim, 2021), Adelbert von Chamisso, Kleist, Novalis, G. Büchner, C. D. Grabbe, Hugo von Hofmannsthal, Frank Wedekind, Kafka, Musil (responsável pela edição das Obras, nas Publicações D. Quixote, As Perturbações do Pupilo Törless [2005] e O Homem sem Qualidades [3 vols., 2008-09]), Peter Handke, Thomas Bernhard, F. Dürrenmatt, Christa Wolf, Heiner Müller, Alexander Kluge e ainda obras dos filósofos Max Stirner, Giorgio Agamben e Walter Benjamin (Obras, 8 vols., Assírio & Alvim).

Autor de numerosos artigos e ensaios sobre temas de literatura alemã, portuguesa, inglesa, literatura comparada, teoria da literatura e da tradução, designadamente em revistas da especialidade – Colóquio/Letras, Revista da Faculdade de Letras (Lisboa), Biblos, Binário, etc. –, bem como nos jornais Expresso e Público, distinguiu-se pela selecção, tradução e apresentação de edições de J. W. Goethe, Hugo von Hofmannsthal, Erich Fried, Michael Krüger, G. Benn, Christa Wolf, Paul Celan, Johannes Bobrowski, Thomas Bernhard, Georg Trackl, Peter Handke, Heiner Müller, entre outros, e também pela organização e tradução de antologias de textos e poemas de língua alemã e ainda na divulgação da literatura portuguesa na Alemanha.

Colaborador regular (colunista e cronista) do Jornal Público entre 1990 e 2006, e da revista LER-Livros e Leitores, e da maior parte dos jornais e das revistas literárias e culturais portuguesas, bem como de algumas estrangeiras (Semear, Metamorfoses e Inimigo Rumor, Rio de Janeiro; Ibero-americana, Frankfurt; e várias revistas científicas e literárias de língua alemã).

É membro do PEN-Clube Português (Vice-Presidente entre 1994 e 2003; Presidente da Mesa da Assembleia Geral entre 2003 e 2006), Associação Portuguesa de Escritores, da Associação Internacional de Críticos Literários (Secção Portuguesa), Associação Portuguesa de Literatura Comparada, da Associação Portuguesa de Tradutores (fundador), Associação Portuguesa de Estudos Germanísticos (Membro Honorário), da Internationale Robert Musil-Gesellschaft (Viena) da IVG-Internationale Vereinigung für Germanische Sprach und Literaturwissenschaft e da Deutsche Schillergesellschaft (Alemanha). Actualmente é presidente da Direcção da Associação «Espaço Llansol» e responsável pelo tratamento do espólio deixado pela escritora Maria Gabriela Llansol.


Em Portugal foi agraciado com vários prémios e condecorações, nomeadamente com o Prémio Calouste Gulbenkian da Academia das Ciências de Lisboa para a Tradução de Poesia (1979), o Grande Prémio de Tradução do PEN-Clube/Associação Portuguesa de Tradutores (1993, pela Obra de Goethe, e 1999, pela tradução integral do Fausto), o Prémio de Ensaio "Jacinto do Prado Coelho", da Seccção Portuguesa da Associação Internacional de Críticos Literários (1996), o Grande Prémio de Ensaio da Associação Portuguesa de Escritores (1996, atribuído a A Palavra Transversal), o Prémio de Ensaio do PEN Clube (2001; 2019), o Prémio de Tradução Científica e Técnica da União Latina (2005, pelo 1º volume da edição de Walter Benjamin), o Grande Prémio de Crónica da APE (2006), o Prémio de Tradução do Ministério da Cultura Austríaco (2010, pelos 3 vols. da tradução de O Homem sem Qualidades, de R. Musil), o Prémio D. Dinis, da Fundação da Casa de Mateus (2011), o Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, da Associação Portuguesa de Escritores (2012), o Prémio de Ensaio do PEN ClubePortuguês (2019, pelo livro Uma Contra-música. Novos escritos llansolianos) e o Prémio Vida Literária «Vítor Aguiar e Silva», da Associação Portuguesa de Escritores (2020-2021).

No estrangeiro foi agraciado ainda com a Bundesverdienstkreuz (Cruz de Mérito Alemã, 1991) e a Medalha Goethe da República Federal da Alemanha (1998).


CDAP
10/2023